sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Bruxaria é Feminina?

Tentamos esclarecer algumas questões que vemos em redes sociais e vamos tentar trazer alguns pontos de vista que venham a agregar na visão de buscadores da espiritualidade no rumo do Mundo Pagão.

Pegamos o seguinte tema e vamos destrinchar essas questões:

"Vejamos... quem foi o maior alvo de perseguição na Idade Média, o homem ou a mulher? Seria por coincidência apenas, que a figura do feminino foi associada à bruxaria? Ou será, que já tinham identificado à tendência na mulher em realizar tais práticas? Isso não torna à "bruxaria feminina", só comprova que ela é de "natureza feminina".
Assim, como as práticas de feitiçaria ou xamânicas. Isso não exclui os homens, mas indica que estes seguem um modelo psicológico feminino, que considero até mais saudável, pela natureza do feminino ser "ambivalente" (abrigar ambos os sexos)."


"quem foi o maior alvo de perseguição na Idade Média, o homem ou a mulher?"

 1 - Resposta - História.

R.: Foram pessoas de ambos os sexos e em grande parte judeus, ciganos e pessoas que não seguiam a religiosidade cristã.


"Seria por coincidência apenas, que a figura do feminino foi associada à Bruxaria?"

2 - Resposta - Sociedade
 
R.: Os exemplos do feminisno sempre foram buscar mulheres fortes e que fizeram algo agregador como adquirir direitos, entretanto também podemos encontrar recentemente uma visão lúdica mencionando mulheres fortes com bruxas, mas isto não tem nenhum embasamento filosófico, histórico ou teológico. Trata-se apenas de que as religiões que possuem o fundamento religioso pagão dão maior liberdade de crença e comportam melhor as pessoas do sexo feminino comparado às religiões monoteístas, algumas que até os dias de hoje tratam a mulher como mercadoria.
A Bruxaria em sua origem em nada menciona o feminismo ou remonta a um resgate do feminino.
A Bruxaria, em seu cerne, trata das questões do homem para com a Natureza.


Ou será, que já tinham identificado à tendência na mulher em realizar tais práticas? Isso não torna à "bruxaria feminina", só comprova que ela é de "natureza feminina".

3 - Resposta - Religiosidade
 
R.: As práticas religiosas são focadas em conexão, seja com o divino, seja com a natureza ou partem de um princípio energético. Dizer que mulheres são mais religiosas ou mais dedicadas a feitiços é apenas um achismo, vide que não existe nenhuma pesquisa que demonstre isso. Entretanto por observância é fato que existem mais mulheres envolvidas com práticas pagãs quando comparado a outros segmentos.
É fato que dentro do mundo das religiões, existe uma tendência muito maior de homens em postos de sacerdócio quando observamos as religiões cristãs, hinduístas, judaicas, budistas, entre outras.
Com relação a natureza feminina, isso não encontra base teológica em sua origem, sendo esta uma visão da idade moderna influenciada pelo romantismo que cita a natureza como Mãe Natureza.

  
"Assim, como as práticas de feitiçaria ou xamânicas. Isso não exclui os homens,"

4 - Resposta - História
 
R.: Práticas de feitiçaria trata-se apenas de manipulação energética, e encontramos mais literaturas de autores homens do que mulheres, seguem alguns exemplos de magistas reconhecidos: Eliphas Levi, Franz Bardon, Aleister Crowley, Robert Cochrane, etc...
Com relação ao xamanismo como crença indígena, muito fortemente realizada por pajés no Brasil ou entre chefes Norte Americanos, pouco há de referências à mulher, quando existe, esta é mencionada como mito em grande parte.


"mas indica que estes seguem um modelo psicológico feminino, que considero até mais saudável, pela natureza do feminino ser "ambivalente" (abrigar ambos os sexos).”.

5 - Resposta - Imaginário Popular
R.: Um modelo psicológico feminino (?) e a consideração por mais saudável (?) e o feminino abrigar melhor ambos os sexos.
 Esta visão tem despontado nos dias de hoje por militantes do feminismo e é meramente uma chamada como das muitas que existem na mídia, mas cabe ressaltar que religiões buscam a conexão e não o empoderamento deste ou aquele gênero, sendo assim, se tratam apenas de uma distorção sem base pagã ou da própria Bruxaria.
 


  Curta a nossa página no FACEBOOK!




quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

CONSELHO DE BRUXARIA - Parapente

Com o intuito de repassar interação e benefícios que vão além de atos ritualísticos, o Conselho de Bruxaria Tradicional em parceria divulga o evento lúdico - Esporte Radical - Parapente.

Interessados, entre em contato diretamente com o "piloto" e boa jornada.

 
  Curta a nossa página no FACEBOOK!



terça-feira, 9 de janeiro de 2018

NOTA DE ESCLARECIMENTO E REPÚDIO


NOTA DE ESCLARECIMENTO E REPÚDIO

Tendo em vista as diversas notícias publicadas na imprensa

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/01/06/rs-esquartejamento-de-duas-criancas-teria-sido-ritual-encomendado-a-bruxo-diz-policia.htm

https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/morte-de-criancas-em-suposto-ritual-satanico-no-rs-custou-r-25-mil-diz-policia.ghtml

http://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2017/10/noticias/regiao/2180729-policia-suspeita-que-irmaos-tenham-sido-mortos-em-ritual-de-magia-negra.html

na primeira semana de janeiro de 2018, o Conselho de Bruxaria Tradicional no Brasil, vem por meio desta publicar oficialmente aos cidadãos, autoridades e imprensa nossa nota de repúdio em relação ao caso das crianças argentinas esquartejadas em Nova Hamburgo, onde o suspeito de tal ação nefasta foi identificado ou se auto intitulou, equivocadamente, como bruxo.

Cabe esclarecer que a Bruxaria possui crenças completamente distintas das visões distorcidas colocadas de forma infundada como sinônimos para Satanismo, Magia Negra, Quimbanda, Vodu entre outras e vale a definição abaixo:

A Bruxaria é uma religiosidade europeia, historicamente pautada na Era Antiga, cujo fundamento religioso é o Paganismo, originária de cultos ancestrais agrários e de práticas de magia natural. 

Dessa forma a Natureza nos é sagrada e divinizada, sendo fortemente ligada à sazonalidade da terra e onde existe uma pluralidade de divindades cultuadas, portanto politeísta. 

Preservamos os conhecimentos ancestrais, bem como o folclore e a cultura dos povos nativos europeus; tampouco, acredita-se ou cultua-se o mítico ou alegorias cristãs como anjos, demônios, inferno e paraíso, sendo estas completamente alheias a teologia pagã.

Ressaltamos que a Bruxaria em sua religiosidade não existem práticas criminosas e que grande parte de sua fama vem de encontro ao período Medieval, onde a Igreja Católica a classificou como qualquer religião, crença ou prática que se distanciasse de sua teologia, bem como as tratou meramente como práticas malignas e pecaminosas ao qual se perduram em nossa sociedade até os dias de hoje.

Devido a total distorção e desinformação de nossas crenças, ainda encontramos matérias, filmes e pessoas que se auto intitulam bruxos, mas que teologicamente não correspondem a este legado.

Dessa forma, não reconhecemos o suspeito do crime em questão como bruxo, nem tais atos, os quais tomamos ciência pelos meios de comunicação, como pertencentes à nossa religiosidade.

A comunidade pagã reafirma sua surpresa sobre atos relatados e os repudia.
No mais, nos colocamos à disposição para colaborar com eventuais esclarecimentos.

Atenciosamente,
Conselho de Bruxaria Tradicional
http://www.bruxariatradicional.com.br